28/04/2017 por Ana Geremias Eventos

Mostra de arquitetura revitaliza o Lar dos Velhinhos de Campinas

 

 

Socialmente justa, economicamente viável e ecologicamente correta. Com o tripé da sustentabilidade em seu DNA, a Mostra+Sustentável 2017, em sua primeira edição, promoverá a reforma e readequação de um dos mais antigos pavilhões do Lar dos Velhinhos de Campinas. Após passar pelo retrofit, o espaço abrigará os diferentes setores administrativos que hoje estão descentralizados. O local foi apresentado hoje (26) para os profissionais de arquitetura, decoração e paisagismo de Campinas e região. Ao público, a Mostra+Sustentável será apresentada entre os dias 7 de setembro e 12 de outubro.

A Mostra+Sustentável é um evento de arquitetura e decoração com formato inovador, inserido em um contexto mais amplo, formado por manifestações artísticas e opções gastronômicas. O projeto sem fins lucrativos tem caráter colaborativo, com investimento bem abaixo dos verificados em outros eventos do gênero (aproximadamente R$ 960 mil) e é realizado obrigatoriamente em benefício de uma instituição com reconhecida atuação social em Campinas ou na região, de modo a atender às suas reais necessidades.

Edição 2017

A propriedade do Lar dos Velhinhos tem no total 72 mil metros quadrados e data de 1904. São nove pavilhões, quatro deles destinados à moradia dos idosos. Atualmente, a entidade acolhe e hospeda aproximadamente 80 idosos desfavorecidos, de ambos os sexos. O espaço total a ser reestruturado pela Mostra envolve 2.950 metros quadrados – 850 metros quadrados de edificação, 1.500m² de paisagismo e mais 600m² de rua.

O projeto de arquitetura foi elaborado pelo escritório modelo A4, do curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade São Francisco, do Campus Campinas, coordenado pela professora Renata Góes, entre o segundo semestre de 2016 e o início deste ano. De acordo com Fernando Caparica, idealizador e coordenador da Mostra+Sustentável, o evento foi a ponte entre a instituição, o ensino, a pesquisa e a extensão. “O Lar dos Velhinhos apresentava uma demanda real e os alunos, futuros profissionais, tiveram a oportunidade de aprender ao realizarem um projeto funcional, voltado à promoção do bem-estar da comunidade e que constitui um legado tangível para as futuras gerações”, diz Caparica.

Obras

As obras no local já começaram. O primeiro passo foi a demolição de parte da estrutura interna da edificação, o que gerou aproximadamente 300 metros cúbicos de entulhos. Em conformidade aos preceitos sustentáveis da Mostra, os rejeitos foram reciclados e utilizados na pavimentação de uma rua interna. “Nosso principal objetivo é trazer a questão da sustentabilidade para o dia a dia. Incorporar conceitos e atitudes no cotidiano das famílias que desmitifiquem o tema, porém, sem a pretensão de apresentarmos uma Mostra 100% sustentável. Temos como proposta unir a simplicidade, a sofisticação e a criatividade ao uso consciente dos espaços e dos recursos naturais, por meio da arquitetura, da arte e da gastronomia”, explica o idealizador do evento.

O prédio em estilo colonial e bastante deteriorado estava sendo utilizado como depósito. Suas características originais, incluindo as paredes externas, serão mantidas. A estrutura do telhado também permanecerá, mas, todas as ripas e telhas foram trocadas. No interior, boa parte das paredes foi demolida para adequação de layout. Os sistemas elétrico e hidráulico serão refeitos, assim como a maior parte do piso, que é de taco. Apesar de a edificação não ser tombada pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural de Campinas (CONDEPACC) a Mostra promoverá o resgate da história, por meio da revitalização do pavilhão, bem como da utilização de materiais históricos do Lar dos Velhinhos de Campinas. “Em todos os ambientes, com exceção de alguns acabamentos utilizados somente durante o evento, as demais intervenções permanecerão no local para uso da instituição”, afirma o idealizador e coordenador da Mostra+Sustentável.

De acordo com ele, foi elaborado um manual contendo conceitos sustentáveis, como a questão da acessibilidade, do reuso da água, da energia solar, do emprego de madeira certificada, da inclusão social e da viabilidade econômica, entre outros, para que os profissionais participantes se pautem. A ideia é certificar, ao final da Mostra, aqueles que apresentarem os resultados mais alinhados ao propósito da ação.

Legado

A gerente de comunicação e marketing do Lar dos Velhinhos, Natália Rodrigues Chaves, ressalta a importância das obras para a entidade: “O espaço nunca havia passado por grandes intervenções e sem a iniciativa da Mostra+Sustentável, isso não seria possível, devido à escassez de recursos por parte da instituição”, explica.

Com a transferência dos setores administrativos para o pavilhão revitalizado, a instituição terá espaço para ampliar e aperfeiçoar alguns dos serviços prestados. “A expansão da academia de ginástica e a criação de um ateliê de pintura e de uma sala zen são algumas das atividades que serão transferidas para os blocos a serem desocupados”, afirma Natália.

Fio condutor

A fim de orientar os trabalhos dos profissionais expositores para a criação de cada um dos ambientes foi desenvolvida a história do vovô Olavo e da vovó Yolanda. Vovô Olavo é um empresário cuja empresa é atualmente administrada pela filha. Essa premissa dará origem aos ambientes corporativos. Já a casa do casal foi pensada para proporcionar o conforto de seus moradores e dos visitantes, filhos e netos, e será o fio condutor dos ambientes residenciais. Na extensa área externa serão desenvolvidos jardins, praças e áreas para convívio. Dentre os espaços apresentados, destaque para um banheiro inteiramente adaptado às necessidades do idoso.

Lúdica e em movimento

Além de promover o retrofit do espaço pertencente ao Lar dos Velhinhos, a Mostra+Sustentável 2017 deixará outro importante legado – a conscientização acerca dos valores e conceitos sustentáveis, por meio do lúdico e do belo. “O evento é também um exemplo de inclusão e de incentivo ao convívio familiar, à prática de exercícios físicos e à responsabilidade social”, afirma a coordenadora geral do evento Lavinia Martins Aires.

A Mostra funcionará de quarta-feira a domingo. As quartas serão dedicadas a palestras técnicas voltadas aos arquitetos, engenheiros, profissionais da construção civil e universitários dessas áreas. As manhãs de quintas e sextas serão destinadas para alunos do Ensino Fundamental II. Quintas e sextas no período da tarde, sábados, domingos e feriados, o evento permanecerá aberto ao público em geral. As visitações para os estudantes serão agendadas, monitoradas e gratuitas. “Queremos que esses jovens sejam agentes multiplicadores das práticas e dos conceitos sustentáveis e que difundam as ideias para suas famílias”, diz Lavinia.

Na programação que contribuirá para tornar a Mostra ainda mais dinâmica e interativa, além de palestras de profissionais de referência em sua área de atuação, estão oficinas preparatórias gratuitas de música, dança, teatro e circo, além de ações de incentivo à slow food, à alimentação balanceada e aos produtos orgânicos.

Conceito colaborativo

Lavinia Martins Aires atenta para a importância do engajamento coletivo para a viabilidade da ação. “Em todas as etapas do projeto, da concepção do projeto arquitetônico aos eventos que serão promovidos durante a Mostra, há um viés social, alinhado ao propósito ecologicamente correto e respaldado pela viabilidade econômica”, reforça. Para ela, há uma confluência natural de pessoas e empresas que já entenderam ser a interação entre pessoas, planeta e lucro o único modelo para a manutenção dos ecossistemas do planeta e para o desenvolvimento global. “Os parceiros foram chegando de maneira natural e houve uma sinergia entre todos os envolvidos”, acrescenta.

Dentre os profissionais já confirmados para esta primeira edição da Mostra+Sustentável Lavinia cita: Otto Felix, Adriano Stancati e Daniele Guardini Stancati, Stella Crissiuma e João Rangel Crissiuma, Maycon Flamarion e Thiago Soares, Álida Weidman, Érica Gonçalves, Patricia Andrade, Raphael Calais, Marília Ferraz, Matheus Mehler, Ana Tayra de Ávila, Desirée Garcia Campos, Erlon Tessari, Helena Overmeer e Renata Kassis, Eduardo Menstriner, Marcela Mendes da Costa, André Lins e Mário Dino, Lydia Bonini e Carolina Stevanato da Costa, Ana Maria Coelho, Michelle Moreira, Biel Siqueira, Felipe Karam, Bruna Fernanda, Fernando Consoni, Caio Ghizzi, Daniela Cherfen, Isabella de La Volpe, Selma Milaré Rubim, Denise Dal Gallo, Liliane Bigaram, Denise Teixeira e Marcelo Bertolini.

“O modelo de negócio colaborativo e sem fins lucrativos requer ainda mais transparência do que os demais modelos de negócios. Por isso, teremos uma auditoria independente a fim de prestar contas aos nossos parceiros. Será assim em todas as edições. Em 2018, por exemplo, a Mostra ocorrerá no Instituto Padre Haroldo”, finaliza o idealizador e coordenador geral da Mostra, Fernando Caparica.

Nasce o projeto

A sementinha do projeto Mostra+Sustentável foi plantada em 2013, pelo engenheiro eletricista Fernando Caparica, que acabara de concluir o MBA em Construções Sustentáveis e buscava por uma maneira de implementar práticas sustentáveis no mercado da construção civil. Desde 1982 Caparica atua nesse segmento por meio da Construtora Nadir dos Santos, pertencente ao engenheiro civil e de segurança Nadir dos Santos. Juntos, eles constituíram há três anos a empresa Ecotopia Soluções Sustentáveis.

A partir de então, já com o aporte da Construtora Nadir dos Santos, Fernando Caparica passou a analisar a fundo o segmento e percebeu que as mostras de arquitetura em geral poderiam apresentar um potencial a mais. “Esses eventos presenteiam o público com tendências e com beleza e, em alguns casos, reformam espaços. Há uma grande mobilização de pessoas, investimentos e recursos materiais. Então, por que não enxergá-los como potenciais agentes de transformação e de conscientização para tornar a comunidade melhor?”, questiona o engenheiro.

O passo seguinte foi buscar o know how de profissionais que compartilhassem dos mesmos princípios e ideais para transformar o sonho em realidade. Foi assim com o arquiteto urbanista Rodrigo Espíndola, responsável pela elaboração do manual da Mostra, que orientará os arquitetos, decoradores e demais expositores para a criação dos ambientes; com o paisagista Lourenço Dantas; com a coordenadora do escritório modelo A4 da Universidade São Francisco, Renata Góes; e com Lavinia Martins Aires, membro e cofundadora de diversas ONGs ligadas às questões socioambientais, entre as quais a Fundação Mata Atlântica, que trouxe sua experiência, motivação e dedicação para dividir com Fernando Caparica a coordenação geral do evento.

Nesse meio tempo, o engenheiro tomou conhecimento da necessidade do Lar dos Velhinhos de Campinas. Estava ali o terreno fértil para plantar a semente da Mostra+Sustentável.

À medida que o projeto brotava, mais e mais parceiros – empresas e profissionais de diferentes áreas de atuação – se encantavam com a sua proposta e passavam a “regá-lo” com ideias, materiais e com o seu trabalho. Empresas tais como a Pirâmide Copiadora, a Massa Forte, a Cicalfer, a WES Energy, a JPB e a Schoba Projetos contribuíram, por meio de doações de serviços e materiais, para a etapa de adequação do espaço aos expositores. Esta etapa será finalizada com uma grandiosa ação: um mutirão envolvendo aproximadamente 300 voluntários, entre mórmons e adventistas, que se prontificaram a realizar a pintura das paredes internas e externas da edificação.

O engajamento de diferentes setores da sociedade já representa os primeiros frutos do projeto. Em setembro, ao abrir suas portas ao público, a Mostra+Sustentável florescerá. Será o momento de promover encantamento, beleza e exalar conceitos de sustentabilidade ao alcance de todos. Passado o evento, tanto o legado tangível – o retrofit do espaço – como o intangível – os valores e conceitos difundidos – permanecerão enraizados na memória coletiva.

Lar dos Velhinhos de Campinas

O Lar dos Velhinhos é um dos maiores abrigos para idosos do Brasil e referência no país no cuidado ao idoso em situação de vulnerabilidade social. A entidade tem capacidade para atender até 128 idosos e tem por missão promover o envelhecimento saudável e exercer o cumprimento dos direitos na integridade social do idoso. 

Sua infraestrutura compreende nove pavilhões, quatro deles destinados à moradia. Em seus espaços, a instituição oferece aos idosos atendimentos social, ambulatorial, de enfermagem, de terapia ocupacional, fisioterapêutico, dentário, psicológico, atividades físicas recreativas e de lazer, como sessões de cinema, jogos, passeios, festas semanais e outros. Na propriedade há também uma capela e o Centro Histórico Orosimbo Maia, um museu antigo da época das freiras, com mobiliário do século XIX.

O Lar dos Velhinhos está apto a receber doações de pessoas físicas e jurídicas, bem como para receber recursos do poder público, por meio de diferentes projetos. A entidade também utiliza o recurso do telemarketing e da realização de eventos para promover a captação de recursos necessários à sua manutenção.

Sua história remonta ao final do século XIX, quando o jornalista Antônio Sarmento deu início a uma campanha na imprensa de Campinas com o objetivo de fundar um local para abrigar aos pobres. Foi o passo inicial para que em 25 de julho de 1904 fosse fundado o “Asylo de Mendigos”, por um grupo de pessoas influentes da cidade, reunidas pelo delegado Paulo Machado Florence, dentre eles: o padre Manuel Ribas D’Avila, Joaquim Vilac, João de Paula Castro, Luís José Pereira de Queiróz, Euclides Teixeira, Aristides Pompeu, Virginio Jacobsen.

Um ano mais tarde, graças a campanhas de arrecadação de fundos, lideradas pelo presidente e pelo vice-presidente da instituição, respectivamente Orosimbo Maia e Alberto Sarmento, foi possível adquirir uma chácara de propriedade do coronel Bento Bicudo. A instituição, então denominada “Asylo de Invalidos”, foi inaugurada em 10 de dezembro de 1905. Somente em 1972, após ser detectado que a maioria das pessoas atendidas ali era constituída de idosos de ambos os sexos, a entidade teve seu nome reformulado para Lar dos Velhinhos de Campinas.

Ainda na década de 1970 começaram as reformas no terreno. O antigo casarão foi demolido e foram construídos novos residenciais.  Outras obras como a pavimentação e a iluminação das antigas ruas de terra no entorno da propriedade também foram realizadas à época.

Serviço:

Mostra+Sustentável 2017

Local: Lar dos Velhinhos de Campinas. Rua Irmã Maria Santa Paula Terrier, 300, Vila Proost de Souza, Campinas – SP

Data: 07/09 a 12/10/2017

Horário de funcionamento: quintas e sextas-feiras, das 14h às 22h. Sábados, domingos e feriados, das 12h às 20h

Preço: R$ 16,00

Visitas técnicas: quartas-feiras, das 14h às 20h

Visitas escolares gratuitas: quintas e sextas-feiras, das 8h às 12h

Informações e agendamento de visitas: www.mostra.com.br | ecotopia@ecotopia.com.br | 19.99606 0787

Patrocínio master: Construtora Nadir dos Santos

Patrocínio: Controllar Automação Residencial, Incepa e Sulvicor

Apoio: Universidade São Francisco, Prefeitura Municipal de Campinas, Editora Top.Co, Campinas e Região Convention & Visitors Bureau, JPB Segurança do Trabalho, Massa Forte, Pirâmide, Consórcio PCJ, Fundação FEAC, Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/SP), Cicalfer Distribuidora, Wes Energia, Schoba Projetos, IAB Campinas, Sartori Advogados Associados, Relazione e Frutaria Rio das Pedras

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>